segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Sometimes we have to step back to move forward

Passei o fim-de-semana com esta frase na cabeça, porque de facto traduz verdadeiramente aquilo que sinto. Todos nós sabemos que para a frente é o caminho, mas não podemos apenas virar as costas e seguir em frente! Há coisas que não se apagam, não se remedeiam, não desaparecem da nossa vida como que por magia. Voltar atrás para muitos não é opção, mas para mim, estaria muito mais perto do fim se não o fizesse. Por isso hoje digo que, Sometimes we have to step back to move forward!





Desejo-vos um bom carnaval!

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Coisas que nos fazem Felizes

Lembram-se daquele projecto que vos falei em meados do ano passado, sobre a instalação de uma cozinha na Unidade do Ensino Especial da nossa escola?
Demorei uns meses até conseguir reunir as ajudas necessárias e o dinheiro que faltava para completar a obra. Ao todo, esta cozinha ficou-nos por aproximadamente 4,500.00€.


Conseguimos aproveitar as férias de Natal para fazer as obras na sala e a montagem dos móveis, instalação dos equipamentos, etc. O forno e a placa só chegaram a meio do mês de Janeiro.

Quando as crianças regressaram às aulas depois do Natal tiveram a surpresa! Ficaram maravilhados e só queriam experimentar tudo. Fez-lhes imensa confusão a falta do forno mas foram aguentando e mal estava tudo operacional, meteram mãos à obra! Têm-se deliciado quer na culinária, quer nos trabalhos manuais uma vez que agora podem lavar as mãos e os pincéis sempre que precisam sem se terem de deslocar à case de banho.

Entretanto mandaram-nos uma carta, ora vejam:



Aqui fica o breve resumo desta obra tão especial (partilho com vocês as palavras que escrevi no FB da associação):

A Unidade do Ensino Especial da nossa escola (Escola Augusto Gil) tinha um sonho e a APEEEAG esforçou-se em reunir todos os esforços para o concretizar. Foi um projecto que precisou de tempo para ser posto em prática, mas conseguimos!
O sonho dos nossos meninos da unidade era de terem uma cozinha (com água quente; banca; armários; placa; forno; frigorífico) que lhes permitisse desenvolver as actividades culinárias em pleno (onde pudessem observar um bolo crescer sem terem de usar a cantina da escola; onde pudessem guardar os legumes frescos da horta ou congelar a sopa que tinha sobrado; a banca também lhes permitiria lavar os pincéis nas suas actividades manuais, sem terem de se deslocar ao WC, etc).
Demoramos sensivelmente 8 meses até termos reunido todas as condições necessárias para a concretização deste projecto e finalmente está concluído! Entretanto recebemos esta carta ternurenta que nos deixou com a plena sensação de dever cumprido!
A todos eles, um beijinho muito grande com votos de muitas felicidades neste novo ‘espaço’.
A todos os colegas da Associação, o meu Obrigada (TODOS, mesmo aos que não têm FB ou aqueles que não estão aqui por outra razão qualquer).
Ao Sr. José; à Prof. Paula Batista; à Prof.ª Manuela, obrigada por acreditarem tanto quanto nós que isto iria ser possível.
Ao nosso patrocinador (cuja identidade não vou revelar) o nosso Obrigada por estarem connosco e nos apoiarem há tantos anos!
A todos os alunos e pais da nossa escola, o nosso Obrigada pelo vosso contributo.
A todos os outros que colaboraram connosco, o nosso muito Obrigada porque sem algumas pessoas, nada disto teria sido possível!


São coisas destas que nos fazem felizes <3

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

I'm BACK / Sometimes we just have to fall

Ando há uns dias para aqui vir escrever e ontem curiosamente, recebi 2 mensagens vossas.

A minha ausência prende-se com o facto de ter havido grandes alterações na minha vida. Alterações essas a título pessoal. Resumindo tudo a uma única frase, eu e o Principesco continuamos juntos, com a diferença que agora vivemos em casas separadas. Muita gente não percebe, às vezes nem nós, mas apesar de tudo, gostamos um do outro e isso é o que nos mantém unidos. O dia de amanhã ninguém sabe por isso, não digo ‘desta água não beberei’ e todas as hipóteses estão em aberto para a nossa vida.

Falando um pouco de mim, da minha saúde e da minha alimentação. A vesícula tem dias, uns dias porta-se melhor que outros mas vamos andando! O peso mantém-se nos 50/51kg, uns dias com 1kg para cima, outros mantém-se mesmo aqui mas sem passar para baixo dos 50kg. Aliás, eu acho sinceramente que engordei, mas o que é certo é que ainda estes últimos dias me disseram outra vez que precisava de engordar…

A minha alimentação não fugiu do habitual:
. Pequeno-almoço continua a ser um pão de cereais torrado, com queijo philadelphia e uma fatia de fiambre e acompanho com chá preto;
. A meio da manhã não costumo comer, por vezes posso comer uma tosta ou sementes;
. Ao almoço como comida: arroz, massa ou batatas com carne ou peixe e dependendo do que for acompanho com salada. Há dias que posso eventualmente trazer só uma sopa. Ultimamente tenho comido uma laranja de sobremesa;
. A meio da tarde como 1 maça verde com uma tosta;
. Quando chego a casa posso comer tomate ou uma fatia de presunto ou fiambre, depende;
. Ao jantar como igualmente comida e muitas vezes até como sopa. Aqui não como fruta.

Como podem ver, faço uma alimentação perfeitamente normal e sem medos. É certo que se quisesse perder peso cortaria substancialmente nos hidratos à noite, mas quem me dá um prato de massa dá-me tudo! LOLOL Apesar de tudo isto confesso... tenho um medo enorme de começar a engordar...

E vocês, deste lado, como estão? Conseguiram resultados na perda de peso? Descobriram que são felizes assim e deixaram de se preocupar tanto com este tema, relaxaram e agora desfrutam da vida mais tranquilamente? Qualquer que tenha sido a vossa opção, saibam que eu vos compreendo em ambos as escolhas!

A felicidade é uma coisa muito relativa, está presente nos pequenos detalhes que constroem o nosso dia-a-dia e descobri-las é um processo complicado. Aquilo que nos faz feliz a nós, não quer dizer que faça também os outros. Temos de nos ouvir, ouvir o coração e deixá-lo guiar-nos nesta vida que pode ser tão curta.

Gosto de vocês e senti muito a falta deste cantinho, mas estava perdida... Já nada me deixava feliz.


Voltei, precisamos muitas vezes de cair para nos levantar a seguir. Para nos erguermos de novo o caminho tem de se construído e todos os dias são diferentes, com coisas boas e más, mas que nos ajudam a definir aquilo que queremos. Tenho muito para aprender, mas saber ouvir o coração é precioso, embora por vezes muito doloroso também, sobretudo quando ninguém nos percebe...

“Sometimes it takes a good fall to really know where you stand”
― Hayley William

I've had a fall... I'm just not sure where I stand right now. Just sayin


quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Quando o Amor fala mais alto

Não vos abandonei, mas na verdade este mês foi muito difícil para mim de gerir, não por questões de saúde (nesse campo a minha vesícula está-se a portar lindamente), mas a título pessoal.

Quando não estamos bem e precisamos desabafar, a partir do momento em que o blog se torna conhecido por amigos, há assuntos da vida familiar de cada um que têm de ficar entre 4 paredes (neste aspecto confesso que sinto saudades da liberdade de escrita quando era 100% anónima LOL). De facto não andei bem e tinha a cabeça cheia de problemas, daqueles em que nos apetece gritar ao mundo STOP THE WORLD I WANT TO GET OUT! Infelizmente não podemos e as coisas têm de se resolver, de uma forma ou de outra.

Hoje consigo escrever-vos porque há sempre uma luz ao fundo do túnel; há sempre uma esperança e acima de tudo, há um Amor muito maior do que eu poderia imaginar. Todos nós sabemos que gostamos/amamos mas é muito difícil quantificar esse sentimento, mas há situações que nos permitem avaliar o QUANTO amamos alguém.

Lamechices à parte, o meu tempo tem sido pouco para tudo o que tenho de fazer! Comecei no mês passado uma formação de informática que estou a adorar, e o tempo em que não estou em aulas tenho tentado conciliar com o trabalho diário e a prática do que vou aprendendo. Setembro foi também mês de ter a minha mãe connosco, que apesar de não nos condicionar em termos de convívio social, há sempre uma preocupação em fazer-lhe companhia nos serões e fins-de-semana.

Falando em comidas, desde Julho voltei a trazer marmita para o trabalho como já vos tinha dito (é uma poupança no orçamento familiar isto de trazer almoço; não poder beber pingos nem cafés LOL). O senão é uma preocupação redobrada ao jantar, que tento sempre fazer a mais para deixar para o dia seguinte mas por vezes há comidas que não dão para aquecer. A minha crise de vesícula provocou uma mudança qualquer no meu organismo, pelo que tenho comido de tudo (hidratos também) e não tenho engordado; até tenho feito mais vezes massa; arroz; grão etc. e continuo nos 50kg. O mau disto tudo é que estou proibida de comer verdes (quanto mais escuros, pior), nomeadamente grelos, nabiças, couve-galega, lombarda, penca, etc. Há cerca de duas semanas sentia-me melhor, e fiz lombo assado no forno com batata assada e nabiças salteadas em azeite e alho, como me sentia bem achei que ‘só um bocadinho’ de nabiças não me ia fazer mal… ENGANO meu, nos dois dias que se seguiram estive completamente enjoada e cheia de dores de cabeça. Depois ouvi (e calei LOLOL) do Principesco: ‘Eu disse-te que isso era PROIBIDO!!!!

Posto isto, voltei para vos dizer Olá e que não desisti!

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Casa cheia, coração CHEIO

Quando há para 10, chega para 14! 

Bolo de claras
Adoro casa cheia, sempre o disse e espero continuar a gostar por muitos anos. Ontem fizemos um almoço de família (eramos 10) e o lanche ajantarado estava incluído. No fim do almoço tivemos a deliciosa companhia de uns amigos que acabaram por aceitar o convite e ficaram também para lanchar.

Ao almoço servimos queijos, azeitonas, paté e pão como entrada, e depois seguiram-se uma Tripas à Moda do Porto. De sobremesa fiz leite-creme e a sogrinha levou mousse de chocolate, melão e ananás. Para o lanche não tinha preparado nada de especial, porque também sei que a sogrinha leva sempre croissants e bola de carne. De tarde aproveitei para fazer um bolo de claras; preparei uma canja e os nossos amigos foram à socapa comprar mais um bolo de chocolate, palmiers, paio, presunto e patê. Posto isto, tínhamos mesa farta! Foi muito bom, comeu-se de tudo e eu ainda piquei umas tripinhas (LOL, adoroooooooooo); beberam-se muitas minis; chás, sumos; etc. E assim se passou um fim-de-tarde de domingo à volta da mesa, a contar histórias e a falarmos da vida!

Errei aqui um passo na preparação, mas o que é certo é que só tenho isto lá em casa :)

Como eu gosto destes Domingos!


Sábado andamos de um lado para o outro com o NOS Em D’Bandada, mas o que mais gostei foi o concerto do Miguel Araújo nos Aliados. Queria muito ter visto a Carminho no Coliseu, mas chegamos precisamente na hora em que anunciaram lotação esgotada (sendo que parte do nosso grupo estava sentado lá dentro e eram visíveis muitos lugares disponíveis, vá-se lá perceber). 

NOS E D'Bandada
NOS Em D'Bandada Jorge Palma no Eléctrico

NOS Em D'Bandada Jorge Palma no Eléctrico
NOS Em D'Bandada Benjamim na Igreja de Stº Ildefonso

NOS Em D'Bandada Miguel Araújo nos Aliados


quinta-feira, 10 de setembro de 2015

O PÁTIO DAS CANTIGAS, qualquer semelhança com o original é pura coincidência!

Ontem à noite eu e o principesco decidimos ir cinema, uma coisa decidida em cima do joelho que nos levou a escolher o Dolce Vita e veríamos o que lá tivesse em cartaz. Optamos pelo Pátio das Cantigas na sessão das 20h00.

Imagem daqui
O que posso eu dizer? O filme é realizado por Leonel Vieira e tem um elenco deveras interessante; é gravado em Lisboa (na Vila Berta) mas não pode de maneira alguma ser comparado com o clássico de 1942! A nova versão do Pátio das Cantigas é uma versão muito exagerada do quotidiano bairrista, carregado de humor com base em diálogos pouco inteligentes e conversas fáceis. Imaginar que daqui a 70 anos este filme pode representar a nossa sociedade envergonha-me. Em termos de realização há passagens temporais sem qualquer referência notória, que nos deixam com a sensação que se perdeu alguma coisa pelo caminho. Mas isto sou eu, que não sou crítica de coisa nenhuma e escrevo-vos apenas com fundamento na minha pouca experiência pessoal.


O melhor da noite foi ter jantado no Conga e ter comido duas belas bifanas (a vesícula portou-se bem e não me importunou LOL).


COMIDAS, POR CÁ E POR LÁ

Por esta altura ainda estamos naquele intermédio entre férias e regresso à vida normal e confesso que me custou voltar a cozinhar diariamente, apesar de gostar de o fazer, mas há dias em que os cheiros da cozinha me incomodam; há dias que vou para casa cheia de fome, preparo o jantar e quando chega à hora da refeição só a ideia de comer me agonia. De qualquer das formas fui ao médico na semana passada e a minha vesícula está melhor (ao toque, porque para mim não esteve muito diferente LOLOL); mudou-me a medicação e aumentou-me as doses durante 15 dias o que fez com que esta semana estivesse melhor, em relação ao peso disse-me que depois eu começava a ganhar peso, para não me preocupar (a balança hoje marcava 49,600Kg mas ás vezes sobe até aos 50,200kg)

Nas férias fazíamos refeições leves ao almoço por isso o jantar incluía sempre hidratos (arroz, batata ou massa), este mês como temos a minha mãe em nossa casa faço sempre hidratos à noite e quem quer come, quem não quer acompanha só com salada ou legumes (a sopa continua sempre a servida em primeiro lugar).

Em relação a mim, o pequeno-almoço mantém-se com o pão do costume e chá preto; ao almoço tenho trazido sopa e conduto se for uma refeição leve, se for algo mais pesado trago só conduto; o lanche mantém-se e ao jantar vou variando, por exemplo, há dias que me apetece imenso sopa, há outros que nem vê-la; há refeições que acompanho com legumes e batata (ou massa, arroz, o que for) há outras que só com legumes e salada, depende. Mas a verdade é que isto da vesícula acabou por alterar as minhas refeições e podem não acreditar mas quando estou enjoada, batata cozida é algo que me sabe muito bem, vá-se lá perceber! Ah, e minis então nem se fala… Se houve algo que me soube lindamente e como nunca durante as férias foram as cervejas geladas que bebi (tantas, mas tantas ihihihihihih). Simmmmmmm, paguei a ‘fatura’ logo nos 2 primeiros dias de regresso ao trabalho, estive mesmo a ‘morrer’…

O que fazer para jantar continua a ser o meu maior ‘drama’ todos os dias…

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

TEMPO

Que tempo este tristonho, odeio chuva! Por acaso não sou daquelas pessoas que odeiam o Inverno, mas a chuva é do que menos gosto. Adoro ficar em casa naqueles dias gelados, enroscadinha no sofá com uma manta, a beber chá quentinho e ver um filme da treta; adoro fazer jantares a dois sentadinhos no chão da sala comer petiscos ou sushi acompanhados de um bom copo de vinho ou chá; adoro as roupas de Inverno, as botas de cano alto, as golas e as luvas, enfim, uma panóplia de coisas que associo ao Inverno e que gosto. Contudo, Setembro ainda não é sinónimo de tempo como este, por isso sinto-me meia perdida com o que vestir, o que calçar, etc. Ommmmmmmm

Por outro lado, SETEMBRO é sinónimo de DESPESAS escolares em grande, o que rebenta com a carteira de qualquer um. No ano passado os livros da princesa mais velha foram todos revistos pelas editoras para contemplarem as metas curriculares introduzidas pelo Ministério da Educação e Ciência, daí não termos conseguido nenhum manual nos bancos de livros. Este ano aconteceu exactamente a mesma coisa, por sorte os livros da mais velha passaram para a mais nova no ano passado e este ano idem (andam na mesma escola, por isso a lista é a mesma, felizmente). No meu tempo, quando os livros escolares me chegavam às mãos já tinham anos de uso (vinham de primos, filhos de amigos ou até mesmo da escola uma vez que a minha mãe era Auxiliar da Acção Educativa). Agora os livros não servem para nada uma vez que as revisões acontecem de quatro em quatro anos nos 1.° e 2.° ciclos do ensino básico e de três em três anos no 3.° ciclo do ensino básico e no ensino secundário (isto se não justificarem alterações antecipadas), enfim, UM ROUBO.

Agora se começarmos a juntar a estas despesas roupas de Inverno, está o caldo entornado e quando estivermos quase, quase a recuperar da carteira estamos no Natal! AHAHAHAHAHAH

É melhor não pensar mais!

QUEROVOLTARPARAAQUIdiariodeumateresaroquetefotos



quinta-feira, 3 de setembro de 2015

VOLTEI

odiariodeumateresaroquetteferias2015praiadaamoreira
Olá, já tinham saudades minhas? Hum...

É verdade, o que é bom acaba depressa mas curiosamente apesar de só ter estado 2 semanas (e um dia) de férias, não posso dizer que passou a correr! Os dias foram enormes, calmos, e as horas passaram devagarinho o que é bom! 
odiariodeumateresaroquetteferias2015praiadaamoreira
odiariodeumateresaroquetteferias2015praiavaledoshomens
Na primeira semana de férias fui sozinha com o Principesco para o Sudoeste Alentejano, mais concretamente para Zambujeira do Mar. Quando chegamos, chuviscava por isso só deu para nos ambientarmos e acomodarmos, não nos foi possível ir à praia. Depois durante a semana tivemos muitos dias de sol; fomos até ao Algarve ter com uns amigos e fomos alternando as nossas idas à praia entre o ‘Vale dos Homens’ e a ‘Praia da Amoreira’.

Escusado será dizer que adoro o Alentejo pela transparência da água; pelo sossego das praias; pelo pão e restantes iguarias. Falando em iguarias finalmente provei caracóis (provei e gostei) e deliciei-me com ameijoas à Bolhão Pato; percebes; gambas fritas; açorda de gambas; arroz de polvo; feijoada de chocos; salada de polvo, etc. A única coisa que me matou por assim dizer foram umas gambas cozidas QUENTES!!!!!!!!!!!!! Tão cedo não vou ser capaz de comer camarão cozido à conta de ter experimentado isto… Fiquei tão mal que tivemos de cancelar um pedido de sapateira, um verdadeiro desperdício!
odiariodeumateresaroquetteferias2015proveiegostei

odiariodeumateresaroquetteferias2015iguarias

Amanhã conto-vos a segunda semana a quatro e um fim-de-semana extenso e bommmm no Gerês, a 10 (às vezes 11!


Relativamente ao peso, comi e bebi como ‘gente grande’, de tudo e muito mas não engordei nada, cheguei com 50,20kg e já baixei para os 49,4kg. Nas férias andei quase sempre bem, só estive mal esta segunda à noite, terça e quarta. Hoje estou ligeiramente melhor, graças a Deus! De tarde tenho consulta e se confessar a quantidade de álcool que ingeri vou levar nas orelhas… UPS… 

sábado, 15 de agosto de 2015

OFICIALMENTE ENCERRADO PARA... FÉRIAS!

Estava difícil este dia chegar mas posso dizer que estou oficialmente de férias! Não temos tudo planeado, ou quase nada melhor dizendo, mas vamos indo um dia de cada vez, para onde o vento nos levar!

Prometo voltar com as energias renovadas e cheia de coisas giras para partilhar!

Fiquem bem e até Setembro.


* (se entretanto se justificar, passo aqui a partilhar coisas boas durante as férias!!!)


terça-feira, 11 de agosto de 2015

PENSARAM QUE EU TINHA IDO DE FÉRIAS? WRONG :)

A bem da verdade andei afastada mas não porque estive de férias. Estas últimas semanas não foram fáceis e a minha vesícula tem tido alguma dificuldade em me dar tréguas, por isso vou tendo uns dias melhores que outros mas sem chegar ao ponto de me sentir BEM!

Na semana passada tive um episódio surreal, talvez o mais surreal por que já passei até hoje e vi literalmente a minha vida andar para trás. Foi ‘apenas’ uma dor de cabeça mas eu pensei que ia ter um AVC ou algo do género… Não era, graças a Deus, foi uma crise de tensão muscular que começou com uma dor na nuca diabólica e depois alastrou para o maxilar tendo mesmo ficado preso/dormente… A médica diz que entrei em pânico e não ajudou (tensão muscular + ataque de pânico, o 1º da minha vida!) Hello… eu já vi muita coisa mas daí a uma dor de cabeça tão súbita, ser nervos/tensão muscular, nunca ninguém me tinha ensinado. Tomei umas drogas e acabei por ficar em casa 4º; 5ª e 6ª a descansar.

Ontem regressei ao trabalho e faltam-me apenas mais 3 dias para eu entrar de férias (sábado, please come fast). Agora perguntam-me porque razão não escrevi? Porque me faltou a vontade; faltou-me o conteúdo; só me apetecia não pensar em nada e ficar sugadita, sugadita, sem tablet nem telefone, longe das tecnologias e vegetar. Fizeram-me bem estes dias que passaram mas espero sinceramente que as ditas férias me façam melhor ainda!

Em relação a comidas, fora as inibições (por causa da vesícula), tenho trazido sempre almoço reforçado (sopa e prato principal). Por exemplo, hoje trouxe uma posta de pescada com batata cozida e legumes (cenoura e couve coração) e ainda um bocadinho de migas. Outra coisa que me tem apetecido é massa, pelo que se pudesse comia massa com tomate e manjericão a todas as refeições.

Imagem daqui
Também tenho reforçado a sopa com massinhas e os jantares com alguns hidratos mas tento cozinhar sempre da forma mais saudável (evitando sobretudos as gorduras; natas e queijo, que no caso das massas faz falta…). Contudo ainda não recuperei o peso, por isso tenho oscilado entre os 49,600kg e os 49,900kg. Confesso que estou um bocadinho cansada de ouvir a malta lá de casa dizer-me que estou sem rabo (obrigadinha, tá??????????). Mas siga, passemos à frente LOL.

E agora o que realmente importa é que o blog vai mesmo entrar de férias, salvo algum dia que tenha alguma coisa e tempo para partilhar, combinado? Faço intenções de passear, descansar, não sei ainda se por terras Alentejanas ou se mais aqui para o Norte, logo decidimos que rumo tomar.


Até sexta ainda dou notícias! Beijos e abreijos para vocês <3

sexta-feira, 31 de julho de 2015

DIA DA AMIZADE

Ontem, dia 20 de Julho, foi o ‘Dia da Amizade’. Vi o Facebook inundado de posts; imagens; declarações a amigos com frases de autores; uma panóplia de declarações como nunca visto.

No meu tempo não era assim, escrevíamos cartas às nossas melhores amigas, apesar de estarmos com elas todos os dias e para mim, uma MELHOR AMIGA era quanto bastasse. As outras eram minhas colegas de escola e para ser sincera, tanto se me faziam. Pelo menos foi assim até ao 9.º ano e a partir do 10.º mudou, éramos uma turma pequena, arranjei uma nova ‘melhor amiga’ mas conseguia gostar muito das outras, ao ponto de ainda hoje sermos amigas e nos encontrarmos de quando em quando (nem que seja de 2 em dois anos ou mais).

A escola terminou, tive alguns trabalhos até ao dia que entrei no meu local de trabalho em Abril de 1996. Foram dias de muito trabalho, meses, anos, e as minhas colegas de trabalho tinham sido minhas colegas de escola, de anos diferentes. Eu era a pequenina quando aqui entrei, e elas tratavam-me como a mana mais nova. Sempre tive tendência para ser mais próxima de uma delas, conseguia conversar e desabafar, aconselhar-me e pensar na vida. Tinha arranjado uma melhor amiga que às vezes me fazia sentir quase como filha, mesmo só sendo mais velha que 13 anos. A nossa amizade cresceu muito, imenso, e até hoje, ela é o meu pilar; o meu ombro onde posso chorar ou sorrir e com ela, tudo é fácil de dizer. Eu também lá estou todos os dias para a ouvir, fazer pensar, aconselhar e tudo e tudo. Por mais estranho que possa parecer, a minha melhor amiga é por acaso minha chefe (detesta que eu diga isso LOL) e ainda hoje tem um espírito super protector em relação a mim.

No dia que acabei por ir ao médico de urgência, ela tinha ficado fechada em casa (na casa de banho) com um voo para apanhar e mesmo sem forças, caminhei até lá à velocidade da luz. Quando me viu obrigou-me a ligar ao Principesco para me ir buscar, e uma hora depois estava no médico.

Agora perguntem-me se lhe dedico posts no Facebook? Se escrevo declarações públicas sobre a nossa amizade? O que importa é que eu sei que ela sabe, o quanto eu a admiro e a valorizo; o quanto eu gosto dela e ela de mim; o quanto nos preocupamos com a saúde uma da outra etc. No nosso local de trabalho todos sabem que somos unha e carne; também sabem que sou o braço direito e o esquerdo como ela diz e há quem me chegue a perguntar se eu não tenho ciúmes da colega A ou B! Até me dá vontade de rir, porque não há colega nenhuma com quem ela possa privar que me cause ciúmes ou coisas do género!

E sou feliz porque tenho uma melhor amiga, mas ao longo destes últimos anos fui encontrado mais uma ou duas pérolas de quem eu gosto tanto, tanto… de coração! Uma pérola que me liga para beber café quando sente que preciso dela (ou quando ela precisa de mim) para partilhar o bom ou o menos bom. Todos temos dias, e é tão bom ter AMIGOS!


Para mim o Dia da Amizade são todos aqueles em que ajudamos os nossos amigos, na hora em que eles precisam. 

quarta-feira, 29 de julho de 2015

VESÍCULA PREGUIÇOSA

Como sabem andei e tenho andado doente, se bem que estou a melhorar, pelo menos a parte dos enjoos melhorou substancialmente. Tenho uma vesícula preguiçosa (Vesícula preguiçosa é a diminuição da capacidade de esvaziamento da vesícula biliar, que tem como consequência problemas no mecanismo de digestão das gorduras pelo organismo.) Resta-me continuar com a medicação e evitar algumas coisas tipo queijo, iogurtes, leite, café, grelos, couve-galega, entre outras que para mim não são problema (fritos e gorduras). Além da medicação trouxe também a recomendação de ir de férias sobretudo para descansar.

Este cuidado redobrado com a alimentação ‘obrigou-me’ a voltar à marmita, pelo que tenho trazido almoço de casa. Chateia-me andar com mais uma mala pendurada ao ombro mas tem de ser. O lado positivo é que vou economizar nas idas ao café, uma vez que não posso tomar café nem pingo! O meu pequeno-almoço continua o mesmo, com a excepção do queijo Philadelphia (troquei pela Becel e muito pouca) e tive de substituir o café por chá preto (felizmente posso beber o meu chá preferido, porque o meu problema não tem a ver com ácidos, etc).


Nem tudo é mau J

segunda-feira, 27 de julho de 2015

QUEREM COMER UM BOM PEIXE?


Imagem daqui

Sexta-feira fomos jantar a um restaurante de que gostamos muito, fica na Afurada e chama-se ‘Taberna do São Pedro’. O forte deste restaurante é o peixe, desde as sardinhas maravilhosas, à dourada escalada, robalo, chocos, lulas, espetadas de lulas com gambas, gambas grelhadas, salmão, bacalhau, entre outros. De carne a opção é muito reduzida mas também servem um costeletão de vitela muito bom. O acompanhamento básico que acompanha praticamente tudo é a batata cozida, salada com pimento assado e pouco mais.

O espaço em si é humilde, os funcionários são sempre muito simpáticos e sente-se sobretudo um ambiente familiar de gente simples, com um dom especial para nos servir um peixe maravilhoso. Boa relação qualidade preço. Recomendo.


Como sabem andei doente do estômago (mas tudo a ser tratado) e nestas alturas apetece-nos comidas mais simples e a mim apetecia-me sobretudo peixe. Posso dizer-vos que aquela refeição me soube a um verdadeiro manjar dos Deuses!